O Projeto CityHack consiste num Hackathon com duração de 24 horas, organizado pelo Instituto Politécnico de Tomar (IPT) e pelo Município de Tomar, que se realiza nos dias 27 e 28 de maio de 2017, no Complexo Cultural da Levada, nesta cidade.
 
Este Hackathon é uma maratona de 24 horas e destina-se a estudantes do ensino superior, com o objetivo de responder a desafios reais e encontrar soluções tecnológicas para cidades.
 
Podem candidatar-se equipas de 3 a 5 elementos, que sejam alunos de Universidades e Institutos Politécnicos nacionais, e em que pelo menos dois sejam oriundos de áreas tecnológicas. A equipa poderá incluir um elemento que não frequente o ensino superior.
 
Para Eugénio Pina de Almeida, Presidente do Instituto Politécnico de Tomar, “o IPT, como pólo de investigação, desenvolvimento e gerador de competências de valorização do capital humano, está a cumprir o seu papel natural na procura e desenvolvimento de soluções com vista à Competitividade e Inovação, Inclusão Social e Emprego e Sustentabilidade e Eficiência no Uso de Recursos, as áreas abrangidas neste Hackaton”. Acrescenta ainda que, o Politécnico de Tomar “tem cimentado a sua importância no ecossistema das cidades inteligentes a partir da geração de parcerias com empresas tecnológicas também com o horizonte da transformação digital. “
 
Já Anabela Freitas, Presidente da Câmara Municipal de Tomar, considera que esta se trata de “uma iniciativa que ajuda a cimentar a ideia de Tomar como cidade que articula da melhor maneira a sua riqueza histórica com uma permanente abertura a novas ideias e aos desafios do futuro, enquadrando-se igualmente dentro do espírito de valorização das relações entre o Município e o Instituto Politécnico, cujos resultados são já visíveis.”
 
Este Hackathon é coordenado por Nuno Madeira, docente do Instituto Politécnico de Tomar para quem “o principal objetivo do CityHack é o de criar um ambiente propício para a promoção de um ecossistema de geração de ideias e soluções para cidades. Equipas multidisciplinares de jovens vão ser desafiadas para encontrar soluções em diversas áreas de atuação nas cidades tais como emprego e dinâmica empresarial, saúde e bem-estar, social e inclusão, turismo e cultura e mobilidade e eficiência energética. À criatividade dos jovens será associada a experiência de mentores que auxiliam na viabilidade das soluções “out of the box”.
 
Este projeto visa incentivar os participantes a apresentar soluções tecnológicas para a melhoria da qualidade de vida nas cidades, reconhecendo, valorizando e retendo talentos e criando condições para a concretização das ideias geradas.