Tomar é um dos municípios fundadores da Federação Portuguesa do Caminho de Santiago, cujo protocolo de constituição foi assinado na semana passada em Vila Pouca de Aguiar, numa cerimónia que contou com a presença do vice-presidente da Câmara, Hugo Cristóvão.
 
O acordo de cooperação para a criação da entidade que visa a cooperação inter-institucional na defesa, preservação e uniformização do Itinerário Cultural Europeu foi assinado por 37 instituições, entre as quais três dezenas de municípios do Centro e Norte do país.
 
Com vista à criação da Federação Portuguesa do Caminho de Santiago, as instituições aderentes comprometem-se a proceder ao levantamento e reconhecimento do percurso, no seu território, com base em fontes históricas e científicas; bem como a elencar pontos de interesse para o turismo e infra-estruturas de alojamento e restauração, além de escolas e outros edifícios passíveis de reconversão em albergues. Deverão ainda proceder à limpeza e marcação do Caminho.
 
O acordo de cooperação tem como objetivo a uniformização dos percursos e da sinalética, mas também a promoção conjunta dos itinerários nacionais que rumam à Catedral de Santiago de Compostela. O aumento do número de peregrinos, principalmente estrangeiros, que atravessam o percurso do Caminho no concelho de Tomar tem sido visível nos anos mais recentes, tendo o Município vindo a investir na sua valorização.